Chave de Identificação do Peckoltia compta "L134": Acari Picota ouro

Peckoltia compta "L134" De, Oliveira, Zuanon, Rapp, Py-Daniel & Rocha, 2010

1.  Corpo totalmente coberto por placas ........................ Loricariidae (2)

2’. Corpo alto, pedúnculo caudal moderado ou alto ............................. 5

5’.  Cintura escapular coberta por placas ventralmente; tamanho do adulto médio ou grande ...........................................................................6

6’. Menos do que 10 raios na nadadeira dorsal  ....................................7

7’. Presença de odontódeos hipertrofiados eversíveis no pré-opérculo ……..................................................................................................………..9

9’.  Nadadeira  adiposa  presente,  abdome  sem  placas,  pterótico  supracleitro  curto  .................................................................................10

10’. Focinho com placas; ausência de tentáculos carnosos no focinho ...................................................................................................................11

11. Dentes de dentário e pré-maxilar aproximadamente de mesmo tamanho ...................................................................................................................12

12’. Dentes viliformes .............................................................................14

14’. Último raio da nadadeira dorsal livre, sem membrana posterior ....................................................................................................................23

23’. Cabeça alta; corpo claro com faixas ou manchas escuras ..........26

26.  Presença de uma linha pálida dentro de cada faixa escura que vai da ponta do focinho à margem anterior dos olhos ..................................................................Peckoltia compta

Atualmente, o gênero loricariídeo Peckoltia abrange 13 espécies válidas em toda a bacia amazônica no Brasil, Venezuela, Colômbia, Peru e Guianas. Peckoltia está incluída na tribo Ancistrini, mas suas relações com outros táxons da tribo não estão bem estabelecidas.

Peckoltia compta, nova espécie, é caracterizada por um padrão de cores ousadas que consiste em grandes barras transversais escuras no corpo e listras escuras longitudinais grossas no focinho e na cabeça. A nova espécie tem o padrão de cores mais semelhante a Peckoltia vittata, mas pode ser distinguida de todos os seus congêneres pela presença de uma linha pálida dentro de cada faixa escura que vai da ponta do focinho à margem anterior dos olhos (vs. ausência de linhas claras) e uma aparência manchada em P. vittata, e uma mistura de vermiculações e manchas na cabeça dos demais congêneres).

 

Peckoltia compta "L134" De, Oliveira, Zuanon, Rapp, Py-Daniel & Rocha, 2010

Segundo o FISHBASE:

Reino = Animalia ; Filo = Chordata ; Classe = Actinopterygii; Ordem = Siluriformes (Catfish) ; Família = Loricariidae ; Gênero = Peckoltia

Países de Distribuição: América do Sul: Brasil.

Tamanho - Comprimento máximo: 6,2 cm

Sinonimos: Peckoltia compta, L134

Nome vulgar do Peckoltia compta "L134": L134, Picota ouro (Brasil); Leopard frog pleco (EUA)

Referência: De Oliveira, R.R., J. Zuanon, L. Rapp Py-Daniel and M.S. Rocha, 2010. Peckoltia compta, a new species of catfish from the Brazilian Amazon, rio Tapajós basin (Siluriformes: Loricariidae). Zootaxa 2534:48-56.

 

Armbruster, J.W. (2003) Peckoltia sabaji, a new species from the Guyana Shield (Siluriformes: Loricariidae). Zootaxa, 344, 1–12.

Armbruster, J.W. (2004) Phylogenetic relationships of the suckermouth armored catfishes (Loricariidae) with emphasis on the Hypostominae and the Ancistrinae. Zoological Journal of the Linnean Society, 141, 1–80.

Armbruster, J.W. (2008) The genus Peckoltia with the description of two new species and a reanalysis of the phylogeny of the genera of the Hypostominae (Siluriformes: Loricariidae). Zootaxa, 1822, 1–76.

Armbruster, J.W. & Werneke, D.C. (2005) Peckoltia cavatica, a new loricariid catfish from Guyana and a redescription of P. braueri Eigenmann (Siluriformes). Zootaxa, 882, 1–14.

Isbrücker, I.J.H. (1980) Classification and Catalogue of the mailed Loricariidae (Pisces, Siluriformes). Verslagen en technische Genevens, Universiteit van Amsterdam, 181p.

Leviton, A.E., Gibbs, R.H.Jr., Heal, E. & Dawson, C.E. (1985) Standards in herpetology and ichthyology: Part I. Standard symbolic codes for institutional resource collections in herpetology and ichthyology. Copeia, 1985, 802–832.

Miranda Ribeiro, A. de. (1912) Loricariidae, Callichthyidae, Doradidae e Trichomycteridae. In: Commissão de Linhas Telegraphicas Estrategicas de Matto-Grosso ao Amazonas. Matto-Grosso, Annexo no. 5 (Historia Natural: Zoologia), 1–31.

Taylor, W.R. & G. Van Dyke. (1985) Revised procedures for staining and clearing small fishes and other vertebrates for bone and cartilage study. Cybium, 9, 107–119.

Zuanon, J. & Rapp Py-Daniel, L.H. (2008) Hypancistrus zebra. P. 220 In Machado, A.B.M., Drummond, G.M. & Paglia, A.P. (Eds.), Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção, Volume II, Série Biodiversidade 19. Ministério do Meio Ambiente e Fundação Biodiversitas, Brasília, 907pp.

Referências:

INSTRUÇÃO NORMATIVA INTERMINISTERIAL N°1, DE 3 DE JANEIRO DE 2012. Diário Oficial da União – Seção I, Nº3, quarta-feira, 4 de janeiro de 2012, páginas 26 a 42 – ISSN 1677-7042 INI MPA-MMA (n01-2012 - Peixes Ornamentais Continentais.pdf)

Armbruster, J. W. 2004. Phylogenetic relationships of the suckermouth armoured catfishes (Loricariidae) with emphasis on the Hypostominae and the Ancistrinae. Zoological Journal of the Linnean Society, 141(1), 1-80.

Buckup, P. A., & Santos, G. M. 2010. Ictiofauna da Ecorregião Xingu-Tapajós: fatos e perspectivas. Boletim da Sociedade Brasileira de Ictiologia, 98, 3-9.

Camargo, M., Giarrizzo, T., & Carvalho Júnior, J. 2005. Levantamento ecológico rápido da fauna ictica de tributários do Médio-baixo Tapajós e Curuá. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, 1(2), 213-231

ICMBIO Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. Levantamento da Ictiofauna, Caracterização Genética e da Fauna Parasitária da bacia hidrográfica do rio Tapajós. 2011

Mergus Wels Atlas Vol 2, German Ebook

Seidel, I. 2008. Back to Nature guide to L-catfishes, Ettlingen, Germany 208 p

Souza, A.C.P. (2003). Descrição cariotípica de peixes dos gêneros Baryancistrus, Parancistrus, Peckoltia e Ancistrus (Ancistrinae, Loricariidae) da Bacia Amazônica. Dissertação de Mestrado – Universidade Federal do Pará, 130p.

Floresta Água do Norte – Celcoimbra – ORNAMENTAL FISH - Carmen Coimbra

E C LOBATO COIMBRA - FAN DE PEIXE ORNAMENTAL

Venda de Peixes Ornamentais Selvagens da Amazônia

https://www.florestaaguadonorte.com.br/peixes-ornamentais-da-amazonia/

florestaaguadonorte@gmail.com

#celcoimbra #carmencoimbra #fandepeixeornamental #florestaaguadonorte  #fish #ornamentalfish

 #elinorcoimbra #eclobatocoimbra #franciscocoimbra  #Loricariidae #pleco #plecos  #pleco #plecos

CLIQUE AQUI! COMPRE NOSSO E-BOOK!
VENDA DISPONÍVEL NA AMAZON.COM
COLEÇÃO: AMAZÔNIA, O MUNDO DAS MULHERES DO NORTE

WAWATU DA AMAZÔNIA 

 

      Na Amazônia, do século XIX, devido à cobiça pela borracha, Wawatu, cunhatã do clã Aruak, tem sua aldeia dizimada por brancos. Apesar de ser forçada a viajar para um local desconhecido, casar-se com guerreiro de origem Karib e sofrer com as diferenças de costumes de seus familiares, ela se apaixona.

MAIS DE 100 PÁGINAS DE PURA EMOÇÃO!