O Lago Grande é um estenso pedaço de varzea que encontra-se situado a noroeste da cidade de Santarém, constituindo um imenso lago que abrange três  municípios, onde encontram-se vária comunidades cujo principal fonte de renda da população provém do trabalho na pesca, seguida pela atividade agrícola, que responde, principalmente, pela subsistência.

A distância da sede municipal até o início do lago, através do rio Amazonas, é de aproximadamente 60km, sendo percorrida em cerca de 3 horas, por barco-motor. O acesso também pode ser efetuado utilizando transporte intermodal, combinando o deslocamento por via fluvial, de Santarém até a comunidade do Patacho, na margem direita do rio Amazonas, próximo a entrada do lago, a partir daí, por via rodoviária, através da PA-257 (Translago), que liga Santarém ao município de Juruti.

Diferente das fazendas de criação, onde casais de acarás de olhos vermelhos são formados para produzirem crias semelhantes, e caso não dê certo, o criador pode cremar os filhotes e refazer o processo, as empresas que compram peixes capturados vivos, dependem da natureza e não podem descartar os peixes comprados. Esse é o motivo de existir uma grande variação no preço dos acarás discos selvagens, mas independentemente de sua classificação rara ou mais simples, os discos selvagens são animais dóceis, lindos e fáceis de criar, desde que sejam mantidos em água com temperatura alta e em pequenos cardumes, pois são animais de clima quente, gregários e ficam triste quando sozinhos.

Symphysodon discus

Na empresa FAN DE PEIXE ORNAMENTAL, os peixes selvagens, depois de receberem tratamento veterinário, são colocados em aquários comunitários que possuem água ciclada. Durante o período de quarentena, a esta água é adicionado extrato de babosa e folhas de castanholeiras. O suco de babosa, além de acalmar os peixes, tem ação cicatrizante. A folha de castanholeira faz a água ficar amarelada, mas serve como fungicida natural. No período de quarentena, os peixes aprendem a se alimentar com ração de engorda sem corante. Nas lojas, os acarás discos  receberão corantes que em poucos dias os transformarão em animais vibrantes, belíssimos. Sua beleza pode se transformar em diversa tonalidade, algumas escuras, outras mais claras, dependendo da variedade do betacaroteno ou alga corantes da alimentação, ou do colorido na iluminação do aquário.

Symphysodon discus

Symphysodon discus Heckel, 1840  

Segundo o FISHBASE:

Reino = Animalia ; Filo = Chordata ; Classe = Actinopterygii ; Ordem = Perciformes ; Família = Cichlidae ; Gênero = Symphysodon.

Países de Distribuição: América do Sul: bacia do rio Amazonas no Brasil, perto da foz do rio Negro, no baixo rio Abacaxis e no baixo rio Trombetas.

Tamanho - Comprimento máximo: 12.3 cm.

Sinônimos: Symphysodon discus, Symphysodon discus willischwartzi.

Nome vulgar do Symphysodon discus: Acará disco, Discus, Red discus.

Symphysodon discus

Referência: Kullander, S.O., 1996. Eine weitere Übersicht der Diskusfische, Gattung Symphysodon Heckel. D. Aqu. U. Terr. Z., Sonderheft "Diskus".

Symphysodon discus

Symphysodon discus

Referências:

FISHBASE = https://www.fishbase.de/summary/Symphysodon-discus

INSTRUÇÃO NORMATIVA INTERMINISTERIAL N°1, DE 3 DE JANEIRO DE 2012. Diário Oficial da União – Seção I, Nº3, quarta-feira, 4 de janeiro de 2012, páginas 26 a 42 – ISSN 1677-7042 INI MPA-MMA (n01-2012 - Peixes Ornamentais Continentais.pdf)

Barriga, R. 1991 Peces de agua dulce del Ecuador. Revista de Informacion tecnico-cientifica, Quito, Ecuador, Politecnica, XVI(3):7-88

Baensch, H.A. and R. Riehl 1995 Aquarien Atlas. Band 4. Mergus Verlag GmbH, Verlag für Natur- und Heimtierkunde, Melle, Germany. 864p.

Buckup, P. A., & Santos, G. M. 2010. Ictiofauna da Ecorregião Xingu-Tapajós: fatos e perspectivas. Boletim da Sociedade Brasileira de Ictiologia, 98, 3-9.

Camargo, M., Giarrizzo, T., & Carvalho Júnior, J. 2005. Levantamento ecológico rápido da fauna ictica de tributários do Médio-baixo Tapajós e Curuá. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, 1(2), 213-231

ICMBIO Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. Levantamento da Ictiofauna, Caracterização Genética e da Fauna Parasitária da bacia hidrográfica do rio Tapajós. 2011

Fernández-Yépez, A. 1969. Contribucion al conocimiento de los cichlidos. Evências, 22: 1-16.

Kullander, S. O. 1986. Cichlid fishes of the Amazon River drainage of Peru. Swedish Museum of Natural History. Stockholm, Naturhistoriska Riksmuseet, 431p.

Kullander, S. O. 1998. A phylogeny and classification of the South American Cichlidae (Teleostei: Perciformes). Pp. 461-498. In: L. R. Malabarba, R. E. Reis, R. P. Vari, Z. M. S. Lucena & C. A. S. Lucena (Eds.). Phylogeny and classification of Neotropical fishes. Porto Alegre, Edipucrs, 603p.

Symphysodon discus

Sale of Wild Ornamental Fish from the Amazon

Symphysodon discus

Floresta Água do Norte – Celcoimbra – ORNAMENTAL FISH - Carmen Coimbra

E C LOBATO COIMBRA - FAN DE PEIXE ORNAMENTAL

Venda de Peixes Ornamentais Selvagens da Amazônia

https://www.florestaaguadonorte.com.br/peixes-ornamentais-da-amazonia/

florestaaguadonorte@gmail.com

AMAZÔNIA - FLORESTA ÁGUA DO NORTE - FAN

#celcoimbra #carmencoimbra #fandepeixeornamental #florestaaguadonorte  #fish #ornamentalfish

 #elinorcoimbra #eclobatocoimbra #franciscocoimbra #cichlid #wild #diskus #diskusfish #diskusfisch #diskusfische #symphysodondiscus  #symphysodon

Symphysodon discus

CLIQUE AQUI! COMPRE NOSSO E-BOOK!
VENDA DISPONÍVEL NA AMAZON.COM
COLEÇÃO: AMAZÔNIA, O MUNDO DAS MULHERES DO NORTE

WAWATU DA AMAZÔNIA 

 

      Na Amazônia, do século XIX, devido à cobiça pela borracha, Wawatu, cunhatã do clã Aruak, tem sua aldeia dizimada por brancos. Apesar de ser forçada a viajar para um local desconhecido, casar-se com guerreiro de origem Karib e sofrer com as diferenças de costumes de seus familiares, ela se apaixona.

MAIS DE 100 PÁGINAS DE PURA EMOÇÃO!